Qual a melhor forma do dentista lidar com as reclamações dos clientes?

0
Qual a melhor forma do dentista lidar com as reclamações dos clientes?

Por mais bem-feito que seja, não há serviço imune a queixas da clientela. Cedo ou tarde, com mair ou menor frequência, é uma situação que uma empresa ou um profissional precisa lidar. É legal ser criticado? Não! No entanto, às vezes, é necessário e importante para um negócio. Neste post, confira qual a melhor forma do dentista lidar com as reclamações dos clientes.

Reclamações dos clientes: saiba usá-las ao seu favor

Saiba ouvir: Tenha calma para escutar o paciente antes de concluir se ele tem razão ou não. De forma alguma, menospreze a queixa. Além de ouvi-la, também coloque-se no lugar dele. Demonstre que realmente compreendeu o que foi dito repetindo a reclamação com as suas palavras.

Peça desculpas: Entenda que, quando o paciente chega com uma queixa, ele está, acima de tudo, chateado. O mínimo a ser feito, nesse caso, é pedir desculpas de forma sincera.

Apresente uma solução: Mas,mais do que desculpar-se, é preciso resolver a situação rapidamente – antes que o cliente saia por aí falando mal do seu trabalho.

Seja realista: Se você não puder resolver o impasse, deixe isso bem claro para o paciente. Prometer algo e não cumprir só vai piorar a relação entre vocês.

Tente uma conciliação: Mesmo depois de ouvi-lo e de apresentar as suas soluções, pode acontecer do paciente continuar infeliz. Então, mantenha a calma e, junto a ele, reveja se é o caso de, por exemplo, devolver o dinheiro.

Fique de olho na web: Reclamações que chegam por e-mail ou pelas redes sociais devem ser respondidas com rapidez também. Só evite respondê-las quando estiver com a cabeça quente.

Mais uma vez nós sabemos que não é bacana ser criticado. Porém, procure encare as queixas como um “termômetro” do que precisa ser melhorado no seu negócio. Uma crítica bem fundamentada pode indicar uma falha que você pode não ter percebido. Use-a para oferecer um serviço de qualidade melhor ainda para o paciente!

E, quando estiver na dúvida, pergunte-se: como eu gostaria de ser tratado se o problema tivesse acontecido comigo?

Mais no Blog BookLab

Gostou das dicas deste post? No nosso blog, confira outras postagens que podem ajudar no dia a dia do consultório. Esperamos você por lá! Até a próxima.